quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

O último Tweet de Bento XVI


Hoje Bento XVI enviou o seu último Tweet como Papa nas nove línguas da conta @pontifex. A conta atual tem cerca de 13 milhões de seguidores e permanecerá em silêncio até a decisão do próximo Papa.

O Tweet foi esse: "Obrigado pelo vosso amor e pelo vosso apoio! Possais viver sempre na alegria que se experimenta quando se põe Cristo no centro da vida.

Fonte: Zenit

Aberto credenciamento dos jornalistas para a JMJ

27 de fevereiro foi o primeiro dia para os profissionais de comunicação solicitarem o seu credenciamento para a cobertura da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013. O evento será realizado de 23 a 28 de julho, na cidade do Rio de Janeiro.

Os profissionais da imprensa têm até o dia 31 de maio para fazer a solicitação somente através do site oficial: www.rio2013.com.

O preenchimento do formulário não garante o credenciamento imediato. Trata-se de uma solicitação que será analisada pela organização do evento e organismos de segurança. Caso a solicitação seja aprovada, os cadastrado receberá um e-mail até o dia 15 de junho. 

O credenciamento dará acesso aos “Media Centers” montados durante os Atos Centrais da Jornada, um na praia de Copacabana e outro em Guaratiba. Nos locais, estarão disponíveis serviços como internet wi-fi, estações de trabalho, sala para coletiva de imprensa, posto médico, dentre outros.

Sala de Imprensa
Para a assessora de imprensa da JMJ, Carol de Castro, este é um novo passo na organização da Jornada, especificamente para a comunicação. “Agora vamos conhecer os jornalistas que virão, assim como os outros setores conhecem os voluntários, peregrinos e clero que participarão conosco em julho”, afirmou a assessora.

Segundo o gerente do Setor Comunicação da JMJ, Benjamin Paz, o objetivo é facilitar o trabalho de todos os profissionais da imprensa que desejam cobrir a Jornada. “A JMJ é um evento de características muito particulares e o Setor Comunicação está a disposição de todos os jornalistas para ajudar e oferecer o melhor contexto possível para que possam realizar seu trabalho. 

A jornada é notícia, milhões de jovens de diferentes idiomas e culturas, reunidos com o Santo Padre numa celebração de fé, alegria e esperança”, destaca Benjamin Paz.

Mais informações no termo de credenciamento ou pelo email press@rio2013.com.

Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

A JMJ explicada em quadrinhos

Uma das iniciativas do COL (Comitê Organizador Local) da Jornada Mundial da Juventude, a se realizar em julho, no Rio, é uma história em quadrinhos que explica o objetivo do evento. 

Em entrevista ao Globo, o designer Gabriel Cruz explica que a ideia surgiu nos preparativos para a JMJ: “Eu já era voluntário e trabalhava no setor de preparação pastoral na área de criação de textos. Sugeri aos responsáveis a criação de um texto sobre a origem e objetivos da Jornada Mundial da Juventude numa mídia visual mais atrativa e leve. Não demorou muito pra concluirmos que uma história em quadrinhos seria o caminho ideal”. Gabriel explica que se inspirou nos discursos dos Papas João Paulo II e Bento XVI nas últimas JMJs, para fazer parte do roteiro:

“Tive liberdade total para criar a história, começando de forma cômica e passando à informativa e, depois, reflexiva. Para esta última, recorri à leitura de textos de Monsenhor Luigi Giussani, sacerdote e teólogo italiano, fundador do Movimento de Comunhão e Libertação, e a discursos dos papas.

A história escrita por Gabriel mostra um menino explicando aos pais a origem do evento e sua importância. As ilustrações, no estilo mangá, foram feitas pelo designer e ilustrador Sami Souza, que usou um tablet para acelerar o processo de criação.

O arquivo, que está disponível pelo site oficial do evento, possui ainda versões traduzidas para o inglês, francês, italiano, espanhol, alemão e polonês. 

A ideia de fazer uma HQ durante o evento, no entanto, não é novidade. Na última edição da Jornada, em 2011, em Madri, foi publicada uma história que contava a vida de Joseph Ratzinger, o Papa Bento XVI, desde sua eleição, em 2005. Na ocasião, a história foi elaborada por um grupo de católicos estadunidenses com ilustrações de um artista de Cingapura.

Fonte: Rádio Vaticano

Jovens lançam site de oração pelo conclave


“Agora, confiamos à Igreja o cuidado de seu Sumo Pastor, Nosso Senhor Jesus Cristo, e suplicamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista com sua materna bondade os Cardeais a escolherem o novo Sumo Pontífice.” Papa Bento XVI


Inspirados pelas palavras do Santo Padre Bento XVI, cinco jovens brasileiros lançaram nesse domingo, 24 de fevereiro, o site www.1conclave.com.


A iniciativa chamada Unidos ao Conclave, direcionada aos jovens do mundo todo, convida a presentear os cardeais eleitores com ramalhetes espirituais.


O ramalhete espiritual consiste em oferecer missas, orações, vias sacras, adorações, jejuns e outros sacrifícios na intenção de uma pessoa amada. Segundo Priscila Alvim, 30 anos, essa ação relembra o exemplo do jovem Juan Diego que ofertou rosas ao Bispo D. Juan Zumárraga a pedido da Virgem de Guadalupe, Padroeira das Américas.


Assim, a iniciativa reforça a importância da oração, especialmente durante o período quaresmal, tempo propício à oração e à penitência a fim de intercedermos pelos nossos cardeais e pelo bem da Igreja.

Como funciona?

Ao acessar o site, o jovem poderá registrar e atualizar o ramalhete espiritual na intenção de um cardeal eleitor, escolhido aleatoriamente. Ao final, todas as orações oferecidas serão entregues aos cardeais antes da eleição do novo Sumo Pontífice.

Desta forma, a meta é levar muitas pessoas à prática da oração e demonstrar publicamente o carinho dos jovens pelos cardeais, como informa Vinicius Andrade, 26 anos. Além disso, destacar a jovialidade da Igreja no ano em que se celebra a 27ª JMJ no Rio de Janeiro.

O site www.1conclave.com está disponível em português, espanhol e inglês.

Fonte: Zenit

Papa pede orações no Twitter. Perfil @pontifex suspenso durante Sé Vacante


Neste momento particular, peço-vos que rezeis por mim e pela Igreja, confiando sempre na Providência de Deus." Este foi o tweet de Bento XVI neste domingo.

No sábado, o Pontifício Conselho das Comunicações Sociais informou que o perfil @pontifex no Twitter ficará suspenso durante todo o período da Sé Vacante, ou seja, depois das 20h do dia 28 de fevereiro até a eleição do novo Pontífice.

O Secretário do Pontifício Conselho, Mons. Paul Tighe, recorda que este perfil foi criado para uso exclusivo do Papa e que o novo Pontífice utilizará esta rede social se considerar oportuno. 

O precedente tweet de Bento XVI foi em 17 de fevereiro, quando escreveu: “A Quaresma é um tempo favorável para redescobrirmos a fé em Deus como base da nossa vida e da vida da Igreja”.

O perfil do Papa no Twitter foi inaugurado em 12 de dezembro passado e está disponível em nove línguas: latim, português, inglês, espanhol, italiano, francês, alemão, polonês e árabe.

Quase três milhões de pessoas seguem Bento XVI, sendo que os seguidores em português são hoje mais de 88 mil e 400.

Fonte: Rádio Vaticano

Secretaria de Estado adverte para tentativas da mídia de influenciar o Colégio cardinalício

A Secretaria de Estado divulgou este sábado um comunicado sobre a qualidade da informação, diante de inúmeras notícias que têm circulado nos últimos dias na imprensa quanto à idoneidade ou não de membros do Colégio cardinalício, e não só, de desempenharem o trabalho que lhes cabe neste momento da história da Igreja.

Eis o comunicado da Secretaria de Estado:

“A liberdade do Colégio Cardinalício, ao qual compete prover, a norma de direito, à eleição do Romano Pontífice, sempre foi corajosamente defendida pela Santa Sé, como garantia de uma escolha que seja baseada em avaliações visando unicamente o bem da Igreja.

No decorrer dos séculos, os Cardeais tiveram que enfrentar múltiplas formas de pressão, exercitadas sobre os eleitores singularmente e sobre o próprio Colégio, que tinham como finalidade condicionar as decisões, submetendo-as a lógicas de tipo político ou mundano.

Se no passado foram as chamadas potências, ou seja, os Estados, que tentavam fazer valer o próprio condicionamento na eleição do Papa, hoje se tenta colocar em jogo o peso da opinião pública, muitas vezes com base em avaliações que não colhem o aspecto tipicamente espiritual do momento que a Igreja está vivendo.

É deplorável que, com o aproximar-se do tempo em que terá início o Conclave e os Cardeais eleitos deverão, em consciência e diante de Deus, expressar em plena liberdade a própria escolha, se multiplique a difusão de notícias muitas vezes não averiguadas, ou não averiguáveis, ou até mesmo falsas, inclusive com grave consequência a pessoas e instituições.

Nunca como nesses momentos, os católicos se concentram sobre aquilo que é essencial: rezam pelo Papa Bento XVI, rezam para que o Espírito Santo ilumine o Colégio dos Cardeais, rezam pelo futuro Pontífice, confiantes de que o rumo da barca de Pedro está nas mãos de Deus.”

Fonte: Rádio Vaticano

A mídia e o Conclave

O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, realizou mais uma coletiva na manhã deste sábado.

Pe. Lombardi falou inicialmente do encontro, de cerca de meia-hora, de Bento XVI com o Presidente italiano, Giorgio Napolitano – “um encontro comovente e intenso”.


Em especial, o sacerdote jesuíta ressaltou o Comunicado da Secretaria de Estado sobre a qualidade da informação. “Trata-se de tomar uma posição, dar um sinal diante daquilo que está acontecendo e como a mídia está se expressando acerca dos problemas da Igreja e da Cúria Romana. É um convite a ter cuidado.”

Para o Pe. Lombardi, estamos num período delicado e circulam muitas informações diferentes, algumas extremamente negativas, “que não correspondem à realidade”. “Muitas vezes é feita uma descrição da Igreja da Cúria Romana negativa, e isso cria um sentido de confusão e de desorientação que não permite aquele clima sereno com o qual a Igreja deve se aproximar para o momento do Conclave.”

Alguns meios de comunicação, afirmou o sacerdote, divulgaram notícias inverídicas e podem exercitar pressões, colocando em condição de intranquilidade o serviço que o Colégio dos cardeais pretende e deve fazer.

Fonte: Rádio Vaticano

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Secretaria de Estado do Vaticano inaugura conta institucional no Twitter

pptwittersecestado2013A Secretaria de Estado do Vaticano inaugurou nesta quinta-feira, 21, sua conta oficial na rede social Twitter, que estará disponível em italiano e inglês.
A instituição, presidida pelo cardeal Tarcisio Bertone, é o dicastério da Cúria Romana que ajuda “mais de perto” o Papa, segundo a definição da constituição apostólica ‘Pastor Bonus’, de João Paulo II, indica a Agência Ecclesia do Episcopado Português.
A conta denomina-se ‘@TerzaLoggia’, numa referência ao 3° andar do Palácio Apostólico, residência do Papa, onde se encontram as instalações da Secretaria.
O espaço, que ainda não postou conteúdo algum já tem com mais de 900 seguidores e segue a conta oficial de Bento XVI (@pontifex), nas nove línguas em que são publicadas as mensagens do Papa.
Falando ao grupo ACI sobre a inovação o assessor de mídia para a Secretaria de Estado Vaticana, Greg Burk, afirmou que “é normal que vários escritórios do Vaticano venham a ter contas institucionais no Twitter. Alguns inclusive já têm”.
“Com a Secretaria de Estado, os usuários verão Tweets sobre o governo da Igreja e do trabalho da diplomacia em todo o mundo. Poderia ser interessante para os jornalistas.
Neste caso, Burke indica que será de interesse da imprensa “por exemplo, obter um aviso prévio sobre algum discurso do Observador da Santa Sé na ONU, seja em Genebra ou em Nova York”.
Fonte: ACI Digital

Vaticano vai criar Centro de Mídia para acolher jornalistas

vaticanoDe 25 de fevereiro a 31 de março próximo estará funcionando no átrio da Sala Paulo VI, um Centro de Mídia para jornalistas e broadcasters que estarão em Roma por ocasião da Sé Vacante, da eleição do novo pontífice e das celebrações pascais.
O Centro de Mídia será organizado pelo Estado Cidade do Vaticano, pela Sala de Imprensa da Santa Sé com a contribuição técnica do Centro Televisivo Vaticano e da Rádio Vaticano.
O Centro de Mídia será dividido em três setores: Imprensa escrita, TV e Rádio.
A coordenação geral do Centro caberá à Sala de Imprensa da Santa Sé, que cuidará também do setor de imprensa escrita. O setor de TV, por sua vez, será gerido pela coordenação geral do Media Center em colaboração com Eurovisão – EBU. A Rádio Vaticano será responsável pelo setor de Rádio e se valerá da colaboração técnica da EBU rádio. Existirá ainda um quarto setor para as crônicas televisivas da Mundovisão, gerido pelo Pontifício Conselho das Comunicações Sociais e pela RAI.
No setor de Rádio do Centro será dada assistência técnica e logística a todas as rádios que fizerem o pedido, deixando assim livres os estúdios do Palácio Pio para as transmissões ordinárias e extraordinárias da Rádio Vaticano.
Fonte: Rádio Vaticano

Católicos de todo o mundo lançam campanha de agradecimento ao Papa Bento XVI no Twitter

ppBxviTwitterDiversos fiéis católicos apresentaram a iniciativa de uma campanha massiva de agradecimento ao Papa Bento XVI na rede social Twitter, programada para em 27 de fevereiro, um dia antes de que se faça efetiva a renúncia do Santo Padre ao ministério petrino.
Quem deseja unir-se à campanha deste 27 de fevereiro poderá publicar no Twitter mensagens de apoio e agradecimento ao Santo Padre junto ao hashtag #ObrigadoBentoXVI, com a expectativa de que se converta em trend topic na rede social.
A partir de 28 de fevereiro, conforme informou a Santa Sé, ao mesmo tempo da renúncia do Papa Bento XVI, as nove contas do Santo Padre, que incluem idiomas como o inglês, árabe, latim, italiano e espanhol (@Pontifex_pt), ficarão suspensas até a eleição do novo Papa.
Até a data, o Santo Padre superou os 2,8 milhões de seguidores nesta rede social e foi o primeiro pontífice a estar presente neste ambiente considerando as redes sociais como portais de verdade e de fé em sua última mensagem pela Jornada Mundial das Comunicações Sociais em janeiro deste ano.
Fonte: ACI Digital

RCR realiza teste de transmissão para a JMJ no sábado 23 de fevereiro

rcr jmjNo próximo sábado, dia 23 de fevereiro, as Emissoras da Rede Católica de Rádio, com suas cinco Geradoras realizarão um teste  de transmissão da cobertura que será realizada durante a Jornada Mundial da Juventude, que vai a acontecer no Río de Janeiro de 23 a 28 de julho.
Para executar o teste da cobertura de transmissão, a RCR irá transmitir a programação das catequeses para os jovens da Arquidiocese do Rio de Janeiro, que já estão se preparando para a JMJ.
A jornalista responsável  do  departamento de Audiovisual da Arquidiocese do Rio, Fátima Lima, explica que as emissoras de Rádio poderão retransmitir a programação integral ou parte dela. “O objetivo deste ensaio é fazer os ajustes de qualidade de áudio e tempo e formato de transmissão e produção de conteúdos que vão ter a transmissão durante a JMJ”, explica a jornalista.
A jornalista disse  que “a proposta de transmissão inclui  programação ao vivo sobre a temática da Campanha da Fraternidade.  A programação da catequese inicia às 8h com previsão de termino às 12h. Portanto a geração será ao vivo e inicia às 8h com término às 12h” .
O comitê de organização da transmissão diz que para as emissoras que tenham interesse em participar desta transmissão, a RCR vai disponibilizar o canal de áudio  no link da Rádio Catedral primeiramente para o teste, posteriormente  se fará em canais profissionais e de alta definição para as geradoras e rádios.
Como será a transmissão do Sábado 23:
1. A abertura será gerada na Rádio Catedral
2. Transmissão, diretamente da Igreja Bom Jesus da Penha, no vicariato Leopoldina,
3. Volta a transmissão para os estúdios da Rádio Catedral com o tema, “qual a importância da catequese dentro da JMJ.
4. Encerramento da programação com um balanço do dia. Os repórteres estarão em cada catequese enviando informações, flash sobre o evento”,
Programação da catequese que será usada na transmissão:
Transmissão Catequeses em preparação a JMJ – Sábado – 23/02
8h – Boletim da Rádio Catedral
8h04 – Programa Especial – ao vivo no estúdio
8h30 – Transmissão direto da Penha – Oração e Pregação
10h – Intervalo
10h05 – Programa Especial – ao vivo no estúdio
10h30 – Transmissão direto da Penha – momento de perguntas e respostas
11h – Transmissão direto da Penha – Santa Missa
12h – Intervalo
12h03 – Programa Especial – ao vivo no estúdio
12h30 – Encerramento
A RCR solicita que após  ensaio  do sábado, seja  feita uma avaliação da transmissão. Qualidade de áudio e tempo e formato de transmissão para o escritório da Rede Católica de Rádio
As reuniões em preparação as transmissões da JMJ vêm acontecendo desde setembro de 2012.
Links para  transmissão:
Fonte: Rádio Vaticano

CTV se prepara para "dia histórico" da despedida de Bento XVI

bento xvi ctv”O Vaticano II e a comunicação – Uma renovada história entre Evangelho e história”: este é o título do livro do novo Diretor do Centro Televisivo Vaticano (CTV), Mons. Dario Edoardo Viganò, apresentado nesta terça-feira, em Roma.
No livro, que inclui um DVD com documentos da época, Mons. Viganò dá amplo espaço ao documento Inter Mirifica, evidenciando que se tratou de um “divisor de águas” na Igreja.
“O Concilio se realizou justamente nos anos em que os meios de comunicação de massa , em especial, a televisão, se difundiram de maneira maciça. A Roma, portanto, chegaram jornalistas e operadores de câmara de todo o mundo para contar o grande evento. O trabalho das televisões, das rádios e dos jornais foi importantíssimo para o Concílio”, explicou o Diretor do CTV.
A apresentação do livro foi também a ocasião para falar do momento atual: “A renúncia de Bento XVI é um ato de governo extraordinário, como o foi a convocação do Concílio Vaticano II por parte de João XXIII. O gesto de Bento XVI produzirá frutos espirituais como o Concílio. Trata-se de um ato de confiar a Igreja a Cristo, em sintonia com as grandes constituições conciliares”.
O CTV acompanhará o último dia de pontificado de Bento XVI, 28 de fevereiro, até sua partida de helicóptero para Castel Gandolfo. Segundo o Diretor, “será um evento histórico”.
Caberá ao CTV também captar as imagens que correrão o mundo do ingresso dos 117 Cardeais eleitores no Conclave, na Capela Sistina, e da “fumaça branca” que anunciará como sinal equivocável o Habemus Papam. No total, serão 26 telecâmaras que documentarão as passagens cruciais do adeus de Bento XVI até a chegada do novo Pontífice.
As transmissões ao vivo serão difundidas através do Vatican player, em colaboração com a Rádio Vaticano. Portanto, quem quiser acompanhar essas fases cruciais para a vida da Igreja, bastará se conectar através da internet.
Fonte: Rádio Vaticano

Briefing sobre a história dos Conclaves realizado na Sala de Imprensa da Santa Sé

1_0_666790Realizou-se na manhã desta quarta-feira, 20, na Sala Giovanni Paolo II, da Sala de Imprensa da Santa Sé, um Briefing sobre a história dos últimos conclaves, aos cuidados do Vice-Prefeito da Biblioteca Apostólica Vaticana, Dr. Ambrogio Piazzoni, que escreveu um livro sobre a história da eleição dos papas.
Este foi apenas um dos muitos encontros que serão promovidos pela Sala de Imprensa da Santa Sé, com o objetivo de oferecer um background histórico aos jornalistas de diversos países, para uma melhor compreensão do período da Sé Vacante e do Conclave.
Dr. Piazzoni falou da história dos Conclaves para iluminar o que acontece na atualidade. A bem da verdade, as normas que regem os Conclaves realizados atualmente são fruto de experiências e de um amadurecimento que ocorreu ao longo dos séculos.
O Vice-prefeito da Biblioteca Apostólica Vaticana iniciou o encontro destacando que os primeiros Conclaves sofriam muitas influências externas, especialmente por parte das autoridades civis. Somente em 1059, com o Papa Nicolau II, foi emitido o primeiro documento pontifício sobre o Conclave, onde era indicado com precisão que “somente os cardeais tem o direito e o dever de eleger um Pontífice”. Regra válida até os dias de hoje. Posteriormente, em 1079, foi fixada a maioria de 2/3 dos votantes.
O Conclave, que vem do latim cum clave (fechado), foi instituído apenas em 1271 pelo Papa Gregório X e a obrigação do voto secreto, somente a partir de 1621, para dar maior liberdade aos votantes.
A obrigação do ‘segredo dos Cardeais’, durante e após o Conclave, veio apenas com o papado de São Pio X, e que incluía também a obrigatoriedade da conservação da documentação do conclave em arquivos.
Em 1922, um Motu Proprio de Pio XI determinou a espera de 15 dias para se iniciar o Conclave, a fim de aguardar a chegada dos Cardeais de todo o mundo.
A Constituição Apostólica Vacantis Apostolicae Sedis, de 8 de dezembro de 1945, do Papa Pio XII, determinou a maioria de 2/3 mais 1 dos votos dos Cardeais.
O Motu Proprio Summi Pontificis electio, de João XXIII teve por objetivo uma simplificação do processo eleitoral. As listas das votações deveriam ser conservadas em um arquivo e consultadas somente com a autorização de um Papa. As anotações dos cardeais também deveriam ser conservadas e não queimadas como no tempo de Pio XII e por fim, deveriam ser queimadas somente as cédulas eleitorais.
Somente em 1978, o Papa João Paulo II fixou que o Conclave deveria ser realizado na Capela Sistina. Paulo VI dizia que ‘normalmente’ os Conclaves deveriam ser ali realizados, mas sem uma obrigatoriedade. Ao longo da história, se dizia que o Conclave deveria ser realizado no local onde o Pontífice viesse a morrer. Conclaves foram realizados no Palácio Quirinale, em Roma, ex-residência dos Papas, em quatro oportunidades.
Também foi João Paulo II a estabelecer a Casa Santa Marta como local de acolhida dos Cardeais durante o Conclave. João Paulo II também aboliu as formas de eleição ‘por aclamação’ ou ‘por compromisso’, mantendo apenas a forma ‘por escrutínio’.
O Papa é bispo de Roma e chefe Universal da Igreja. Em função desta estreita ligação, cada Cardeal, independente do país de origem, é titular de uma paróquia em Roma.
Ao final, interpelado por jornalistas, Dr. Piazzoni explicou quantos Papas haviam renunciado na história. Ele informou que alguns Pontífices renunciaram obrigados e outros por livre e espontânea vontade. Papa Ponciano, em 235, foi condenado a trabalhar numa mina na Sardenha. Papa Silvério, em 537, foi obrigado a abdicar e constrito a exilar-se na Ásia Menor. Martinho V foi preso e mandado para a Crimeia. Sobre o Papa João XVIII, em 1009, não se tem muita certeza, mas é muito provável que tenha renunciado. Bento IX, em 1044, renunciou e após voltou ao papado. Posteriormente Celestino V, que reconheceu não estar preparado e por fim Gregório XII em 1415.
Somente um pontífice pode alterar as regras que regem um Conclave. O próximo, a ser realizado em março, será o 75º Conclave da história.
Fonte: Rádio Vaticano

Hotsite da Campanha da Fraternidade

hotsite cf2013
A Equipe de Comunicação da Campanha da Fraternidade (CF) 2013, formada por jovens que representam pastorais, movimentos e comunidades de todos os cantos do país, criou um espaço importante para a partilha das ações da Campanha. É o hotsite www.cf2013.org.br, que aliado aos perfis nas redes sociais, visa colaborar na mobilização da Igreja no Brasil na reflexão do tema “Fraternidade e Juventude”.
“Fundamentados no texto-base, vamos movimentar a CF 2013 com uma linguagem diferenciada, própria de nós jovens”, afirma a equipe na apresentação do hotsite. Além de oferecer os subsídios da Campanha, o espaço traz artigos e notícias sobre as iniciativas em todo o país.
Os jovens podem colaborar com o hotsite, enviando a notícia de como está sendo realizada a Campanha em sua diocese, paróquia, congregação, movimento ou comunidade. Basta clicar na aba “Seja um correspondente”. A coordenação é da equipe “Jovens Conectados”, da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB.
A CF é uma proposta evangelizadora da Igreja Católica desenvolvida na quaresma em preparação para a Páscoa. A campanha tem a missão de despertar o espírito comunitário e cristão; educar para a vida em fraternidade; e renovar a consciência da responsabilidade social.
Fonte: Rádio Vaticano

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Dom Orani é eleito presidente da Rede Vida de Televisão

Nesta terça-feira, 19, o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, foi eleito como novo presidente da Rede Vida de Televisão, em assembleia do Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (INBRAC), em São Paulo.

Dom Orani foi eleito por aclamação e tem mandato até o dia 6 de junho de 2014. O Arcebispo completa o mandato de Dom Antônio Mucciolo na presidência do Conselho Superior da Rede Vida. O jornalista Monteiro Filho foi eleito vice-presidente.

O Cardeal de São Paulo, Dom Odilo Scherer, participou como conselheiro da reunião de eleição de Dom Orani nesta terça, na capital paulista. 

Votaram igualmente na assembleia os jornalistas Monteiro Filho e Monteiro, Antônia Mucciolo, Dom Paulo Mendes de Almeida, Dom Fernando Figueiredo e Luiz Antônio Monteira.

Fonte: Canção Nova

'A Escolha do Papa', na imprensa internacional

O ‘L´Osservatore Romano’ publicou o artigo “A Escolha do Papa”, sobre a repercussão do anúncio da renúncia de Bento XVI na imprensa internacional.

“Considero muito sábia a decisão do Papa Bento XVI em renunciar”, disse o historiador inglês Paul Johnson, 85, numa entrevista a Giulio Meotti, publicada no ‘Il Foglio’, em 19 de fevereiro, “decisão em sintonia com a formação intelectual de Joseph Ratzinger. Não vejo nenhum sinal de fraqueza na escolha de deixar o cargo ou de irrelevância do cristianismo na vida pública contemporânea”.

Assumindo que “Todos temos necessidade do Papa, mesmo aqueles leigos que jamais confessariam isto”, Johnson indica também o que, na sua opinião, foi uma característica do papado de Ratzinger, “a tensão entre cristianismo e mundo moderno. O ser humano não é uma criatura inteiramente secular, tem necessidades seculares, mas tem necessidade de muito mais do que isto para viver, e neste ponto o papel da Igreja é muito importante. Amo muitíssimo Ratzinger – acrescentou -, que mostrou que a razão tem uma dimensão espiritual, como a imaginação, que para mim permanece como a característica humana mais importante. É a imaginação que nos convence de que fomos criados à imagem de Deus”.

O historiador de Manchester conclui, detendo-se sobre o relativismo moral, “o pecado capital do século XX, a razão pela qual foi uma época tão desesperadamente infeliz e destrutiva na história do homem. Por esta razão, todas as forças da sociedade moderna foram contra o Papa Ratzinger”, afirmou.

Uma análise de Bento XVI também foi feita por Russell Shaw, na última edição do jornal estadunidense ‘Our Sunday Visitor’. “Poucas pessoas nos tempos modernos influenciaram a Igreja Católica tão profundamente como fez Bento XVI – escreve Shaw. Como teólogo durante o Concílio Vaticano II entre 1962 e 1965; como Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, de 1981 a 2005; e especialmente como líder espiritual mundial dos católicos desde 2005 até sua renúncia, anunciada em 11 de fevereiro. Bento XVI – prossegue Sahw – poderia ter sido o primeiro working theologian desde que São Gregório, o grande, ocupou o papado. Se as ideias têm consequências, ele foi uma das figuras mais verdadeiramente autênticas do seu tempo, capaz de moldar a ordem do dia do debate público, dentro e fora da Igreja”.


Fonte: Rádio Vaticano

Aplicativo da RV em português!

A Rádio Vaticano acaba de lançar em português seu aplicativo para smartphones e tablets, para as plataformas Iphone/Ipad e Android.

Trata-se de uma novidade multimídia, em que é possível sintonizar ao vivo todos os programas da Rádio em 40 línguas, vídeos, artigos e reportagens jornalísticas, programas de aprofundamento e acompanhar os compromissos cotidianos do Papa. 

O aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente, se abre com a Agenda (que daqui poucos dias será integralmente traduzida em português) dos compromissos públicos do Pontífice, constantemente atualizada sobre as transmissões ao vivo em áudio e vídeo, produzidas em colaboração com o Centro Televisivo Vaticano.

Graças a um sistema idealizado e produzido pela Rádio Vaticano (Vatican TIC), é possível consultar todos os conteúdos escritos e em áudio relacionados a cada evento e é possível ler os textos dos discursos pronunciados pelo Papa, publicados no site vatican.va

O aplicativo também está disponível em italiano, inglês, francês e espanhol. Confira!

Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Inscrições para o 8° Muticom terão início em março

As inscrições para o 8º Muticom terão início em março, e serão realizadas, exclusivamente, através da internet, por meio do site do evento (www.muticom.com.br). Até o dia 31 de julho, a inscrição vai ser no valor de R$ 100 reais. Após este período, até o dia 10 de outubro, o valor será R$ 130. No ato da inscrição, o participante deverá escolher o GT que pretende participar, seja como ouvinte ou apresentador de experiências, neste último caso, ele deve anexar um resumo do trabalho ao formulário da inscrição, que passará por avaliação do coordenador do GT, uma vez que o número de experiências por grupo é limitado a 16 trabalhos.

Fonte: Muticom

Comissão da CNBB se reúne em Natal para dar encaminhamentos finais para o 8° Muticom

No dia 23 de março, as equipes que estão organizando o 8º Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom) vão se reunir com a comissão de comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), representada pelo presidente da Comissão Episcopal para Comunicação, o bispo Dom Dimas Barbosa, e assessora da comissão, irmã Élide Fogolari, para dar os encaminhamentos finais da organização do evento. A reunião vai ser realizada no centro pastoral da Paróquia de Nossa Senhora da Candelária, no bairro Candelária, em Natal.

Fonte: Muticom

VI Encontro Nacional de Jornalistas adiado para o mês de junho


cnbb
A Assessoria de Imprensa da CNBB enviou comunicado nesta segunda-feira, 18 de fevereiro, aos bispos de todo o Brasil, informando o adiamento do VI Encontro Nacional de Jornalistas. O evento estava marcado para os dias 15 a 17 de março. Porém, com a renúncia do Santo Padre Bento XVI, a realização do Conclave e o início do novo pontificado, a Secretaria Geral da Conferência achou por bem adiar a realização Encontro.
A nova data será os dias 07 a 09 de junho, em Brasília (DF), na Casa de Retiros Assunção. ”Nesta edição temos um desafio importante: a elaboração de um Manual de Redação e Estilo, a fim de auxiliar os redatores a adotar certo padrão na forma e na linguagem utilizada em nossa comunicação institucional”, afirma o assessor de imprensa, padre Rafael Vieira. A assessora do Encontro será da Profª Dad Squarisi, jornalista que atualmente é editora de Opinião do jornal Correio Braziliense.
As inscrições serão feitas a partir de 06/05 no site da CNBB. O participante, no ato da inscrição, deverá enviar uma versão virtual e assinada da carta do bispo que o indica como representante da diocese. Mais informações serão divulgadas posteriormente no site da Conferência.

Fonte: CNBB

JMJ lança Página Global no Facebook para integrar os perfis oficiais

Agora todos os 21 perfis da JMJ Rio 2013 no Facebook estão integrados. Quem acessar a JMJ no Facebook poderá também acessar o perfil oficial em alemão ou francês, por exemplo. Serão possíveis acessos também em árabe, croata, eslovaco, esloveno, espanhol, húngaro, inglês, italiano, japonês, português, romano, russo, vietnamita, chinês, lituano, maltês, tágalo e tcheco.

Para modificar o acesso, basta clicar no botão de configurações e escolher a opção correspondente ao país. Aparecerá a lista de países. A página mudará para o perfil selecionado. Esta possibilidade já está disponível. A mudança é uma forma de aumentar o contato entre os jovens do mundo que querem saber mais sobre a Jornada.

Com a novidade, são mais de 730 mil fãs da JMJ no Facebook. Este número é o resultado da integração das páginas.

É a primeira vez que é realizado esse procedimento na Jornada Mundial da Juventude. Esse método é utilizado por importantes organizações internacionais e desde a JMJ de 2011, em Madrid, a ideia de integração dos perfis já era pensada.

De acordo com o gerente de Comunicação da JMJ Rio2013, Benjamin Paz, essa mudança é muito positiva, traz mais credibilidade para as páginas oficiais e conta com estatísticas que ajudarão a melhorar a estratégia de comunicação na mídia. “Acreditamos que vai melhorar a experiência das pessoas que acompanham a JMJ, segundo o nosso objetivo de interagir e dar a informação da melhor maneira possível. Dessa forma, vamos conseguir com que os jovens experimentem a Jornada, tanto para os que vão participar e para os que não puderem vir, que possam vivenciar o evento e tudo o que acontece através das mídias sociais. Levando assim, a mensagem do Papa a todos eles”, explica Benjamin Paz.

Fonte: Rio2013

Preparação Pastoral ganha canal na JMJ Rio2013


O portal JMJ Rio 2013 lança mais um canal voltado para a formação dos jovens: Prepare-se. Com intuito de ser uma ferramenta de divulgação e meditação da Jornada, a seção oferece diversas formas de conteúdo espiritual, testemunhos, meditações semanais sobre textos bíblicos e liturgia da Santa Missa.
Um desses conteúdos é a Lectio Divina, disponível para download. O grupo interessado, em organizar uma vigília ou alguma atividade, encontrará um conteúdo espiritual, teológico e bíblico na seção do portal. A intenção é que o jovem se forme, informe e reze por meio dos textos meditativos, explicativos e espirituais.
O conteúdo disponível no canal deve ser divulgado pelas paróquias, pois nem todos tem acesso à Internet. Isto é o que acredita Padre Arnaldo Rodrigues. “Nós temos que ser multiplicadores dessas informações. A evangelização age justamente dessa forma, quem tem mais possibilidade ajuda quem não tem”, comenta o diretor do setor de Preparação Pastoral.
Padre Arnaldo destaca a importância de o canal ser um meio de ligação do jovem com o setor. “É um modo de o jovem participar dentro da organização da Jornada. Também é uma forma de falarmos e rezarmos na mesma intenção, nos prepararmos de forma igual pela Jornada. Este canal é mais uma ferramenta para que o jovem vive a JMJ desde já”, ressalta.
Fonte: Rio2013

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Bento XVI: a mídia criou concílio virtual diferente do Vaticano II


Uma versão deformada do concílio chegou de maneira eficiente até o grande público através dos meios de comunicação, que consideraram o Vaticano II como uma luta política e favoreceram as correntes mais convenientes ao seu ponto de vista. A mídia amplificou a ideia de descentralizar a Igreja e de dar o poder aos bispos através do povo. Os frutos foram nefastos. Cinquenta anos depois, porém, esse “concílio virtual” está cedendo lugar ao verdadeiro concílio Vaticano II, com toda a sua força espiritual.
É o que afirmou Bento XVI no encontro de ontem com os sacerdotes da diocese de Roma na Sala Paulo VI, quando abordou magistralmente diversos temas. Não faltaram aplausos nem manifestações de afeto ao pontífice.
“Havia o concílio dos padres conciliares, mas também havia o concílio dos meios de comunicação, que era quase um concílio à parte”, disse Bento XVI, percorrendo suas lembranças. “O mundo percebeu o concílio mais através da mídia, que era muito rápida; ou seja, o público recebeu mais o ‘concílio da mídia’ do que o concílio dos padres”.
“O concílio dos padres se realizava dentro da fé. O concílio da fé procurava o intellectus, tentava ser entendido e entender os sinais de Deus para dar respostas aos desafios do momento. Já o concílio dos jornalistas não foi realizado dentro da fé, mas das categorias dos meios de comunicação de hoje, fora da fé, com uma hermenêutica diferente”.
Com a voz serena que o caracteriza, o papa precisou: “Era uma hermenêutica política. Para os meios de difusão, o concílio era uma luta política, uma luta de poder entre as diversas correntes dentro da Igreja, e era evidente que eles se posicionaram em favor da parte que achavam mais conveniente ao seu mundo”.
E apoiaram, explicou o papa, aqueles que pretendiam a descentralização da Igreja, os poderes dos bispos através da palavra do povo de Deus, o poder dos leigos, a soberania popular. “Claramente, para eles, esta era a parte que tinha de ser aprovada, promulgada e ajudada”.
Eles viam a Igreja, portanto, “não como um ato da fé, mas como um lugar em que se fazem coisas compreensíveis, atividades da comunidade”. O santo padre acrescentou que existia uma tendência fundamentada historicamente na sacralidade como coisa pagã, que via o culto como profano: “o culto não é culto, mas um ato de conjunto da participação comum”. E essas “traduções” do concílio foram violentas na praxis da aplicação da reforma litúrgica, “porque nasceram fora de uma visão do concílio e da sua própria perspectiva de fé”.
Bento XVI, sempre falando como numa conversa informal, sem nenhum tipo de anotação em mãos, acrescentou: “Sabemos que o ‘concílio da mídia’ era mais acessível a todos, mais dominante e mais eficiente. E ele criou calamidades, tantos problemas e misérias. Seminários fechados, conventos fechados, liturgia banalizada”.
“Esse concílio da mídia foi imposto à sociedade, criando numerosos problemas, enquanto o concílio tinha dificuldades para se concretizar”. Por assim dizer, “o concílio virtual era mais forte que o concílio real”.
Mas a força do concílio estava presente e, pouco a pouco, vai se realizando cada vez mais e se transforma na verdadeira força, “que é a verdadeira reforma e a verdadeira renovação da Igreja”.
Ao concluir a fala, Bento XVI afirmou aos vários milhares de sacerdotes e seminaristas presentes: “Cinquenta anos depois do concílio, nós vemos que esse ‘concílio virtual’ está se perdendo, e que, ao mesmo tempo, vem surgindo o verdadeiro concílio, com toda a sua força espiritual. E é nosso dever, neste Ano da Fé, trabalhar para que se realize o verdadeiro concílio, com a força do Espírito Santo, e a Igreja seja realmente renovada”.
Fonte: Zenit

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Equipe prepara texto base do Diretório de Comunicação da CNBB


Começou nesta sexta-feira (08/02), na Central Paulinas, em São Paulo a reunião da equipe de assessores que está produzindo o texto-base do Diretório de Comunicação da CNBB, a ser discutido na Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, de 10 a 19 de abril deste ano, em Aparecida (SP). Depois de várias reuniões no ano passado, a equipe redigiu a primeira versão do texto, que foi enviada aos bispos de todo o Brasil para análise e aportes. 
Nesta primeira reunião de 2013, que seguirá até este domingo (10/02), a equipe está analisando todas as contribuições recebidas, tanto dos bispos como de outros setores e pastorais da CNBB. A proposta é enriquecer o texto com essas contribuições e enviá-lo ao episcopado brasileiro pelo menos 15 dias antes do início da Assembleia Geral.
Sob coordenação de Dom Dimas Lara Barbosa, responsável pelo Setor de Comunicação Social da CNBB, e da Ir. Élide Fogolari, Assessora de Comunicação da CNBB, estão reunidos os seguintes membros da equipe: Dom Luiz Mancilla Vilela – Arcebispo de Vitória (ES), Dom João Bosco Barbosa de Souza – Bispo de União da Vitória (PR), Pe. Clovis Andrade de Melo, Pe. Gildásio Mendes, Pe. Manuel Quinta, Pe. Gregório Lutz, Ir. Helena Corazza, Ir. Joana Puntel, Maria da Luz Feernandes, Rosane Borges, Ismar de Oliveira Soares e Elson Faxina.
Fonte: Signis Brasil